PF cumpre mandados de apreensão em endereços do senador Ciro

A Polícia Federal (PF) cumpriu nesta quinta-feira, 27, dois mandados de busca e apreensão expedidos pelo Supremo Tribunal Federal (STF) em imóveis em Teresina. Os endereços seriam ligados ao senador Ciro Nogueira; um deles foi a sede do Diretório Estadual do Progressistas, no bairro São João.

As ordens judiciais foram requeridas pela PF nos autos de inquérito em andamento que apura os crimes de corrupção ativa, corrupção passiva, lavagem de dinheiro e organização criminosa. A apuração tem origem na delação de executivos da Odebrecht.

De acordo com a PF, as investigações tiveram início com acordos de colaboração premiada firmados por executivos da empreiteira junto à Procuradoria-Geral da República e que apontaram os caminhos percorridos pelos valores que teriam sido desviados de obras públicas concedidas à empresa.

Um integrante do diretório, que não quis se identificar, informou ao Cidadeverde.com que abriram as portas da sede para os agentes da PF e que eles não teriam encontrado nada suspeito no local. O expediente segue normalmente e todos estariam tranquilos. Ele confirma que o alvo não seria o senador Ciro Nogueira, mas sim uma pessoa filiada a o partido.

Na superintendência da Polícia Federal no Piauí nenhuma informação é dada. De acordo com  assessoria, os agentes vieram de Brasília para cumprirem os mandados, não houve participação de policiais do estado.

 

Defesa

A assessoria de imprensa do senador Ciro Nogueira no Piauí cumpriram mandados na sede do partido Progresistas em Teresina, no bairro São João, na zona Leste e que teria como alvo da operação uma pessoa que não teria vínculo profissional com o diretório. Mas que os funcionários forneceram todas as informações solicitadas.

Veja nota na íntegra: 

Em relação às notícias veiculadas hoje na imprensa sobre supostas diligências nos endereços do senador Ciro Nogueira, em Teresina, informamos que o alvo dessa ação não foi o senador Ciro Nogueira, mas sim um terceiro.  Essa pessoa, alvo da determinação judicial, diferentemente do que foi alegado pelas autoridades, não possui vínculo profissional com o Diretório Estadual dos Progressistas. Portanto, permanece ainda inexplicável a razão pela qual a Polícia Federal procedeu à diligência na sede do partido.

Apesar do evidente equívoco, houve plena colaboração dos funcionários do Progressistas que forneceram prontamente todas as informações solicitadas pelos agentes.

O senador Ciro Nogueira sempre se colocou à disposição do Poder Judiciário, como o principal interessado no esclarecimento dos fatos e, devido à grande repercussão negativa que essa operação causa em plena campanha eleitoral, espera-se rápido esclarecimento acerca do que levou à Polícia Federal a fazer buscas na sede do partido.

Assessoria de Imprensa

Em nota divulgada na imprensa nacional, a defesa do senador Ciro Nogueira informou que a delação realizada por empreiteiros da Odebrecht fizeram o STF abrir o inquérito há 18 meses. A defesa questiona essa busca e apreensão a dez dias da eleição e classifica como “intromissão do poder judiciário ao processo eleitoral” e destaca que o senador não “é o alvo”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *